Página 2

Volume 19  Edição 867    14 de abril de 2019

PETRÓLEO

Para a pág. 3

Volatilidade alta


O preço do petróleo vem se recuperando de uma baixa:  o preço WTI tem estado acima de U$ 60 recentemente, depois de bater US 44 no fim do ano passado;   ainda está abaixo do topo em 4 anos que foi U$ 76.40 em 3 de outubro de 2018.

A volatilidade do preço do petróleo quase sempre tem variado de acordo com as perspecticas da  oferta,  as vezes afetada por incidentes geopoliticos ou da natureza.

Os preços haviam cedido com o crescimento da produção doméstica dos Estados Unidos,  chegando  a 11,9 milhões de baris/dia, tornando-se a maior do mundo e cobrindo 60% da demanda local. 

A produção do shale oil e de combustíveis alternativos, como o etanol,  começou a crescer em 2015,  juntamente com a produção no Golfo do México,  com avanços tecnológicos permitindo

 

progressiva redução dos custos de extração.

Com isso,  os produtores americanos conseguiram resistir a derrubadas de preço que o mercado acredita tenham tido origem na    OPEP;   aos poucos,  as grandes companhias foram abandonando explorações de novas   áreas,  já que ficou mais barato comprar empresas de shale oil.

A OPEP não tem conseguido cortar sua produção de forma suficiente para establizar os preços.   A demanda mundial tem crescido pouco,  cerca de 1,3% ao ano e não espera muita aceleração  no futuro imediato,  inclusive pelo uso crescente de gás natural e de energia renovável.

A luta pelos mercados mundiais deve ser intensa e provocará a manutenção de alta volatilidade para este mercado.