Página 2

Volume 18  Edição 851   2 de dezembro de 2018

COMÉRCIO

Para a pág. 3

Ainda em alta

Ao longo da alta recente do mercado (Onda V do Ciclo do Ibovespa,  iniciada em janeiro de 2016), as principais companhias do setor comércio      acompanharam a tendência geral,  não obstante algumas restrições de cunho fundamentalista,   como comentado na matéria de cap,   principalmente porque algumas cotações estão ou com o p/l muito alto ou com o p/vpa exagerado  (ou ambos ao mesmo tempo...).

LAME4,  que é o caso onde tal exagero é mais notório,  não esteve em alta no período mencionado e sim congestionada numa espécie de longo e largo triângulo.     Seu comportamento é até tradicional,  como se sempre fosse protegida por um hábil esquema de sustentação,  tolerada pelo mercado como uma excentricidade,

PCAR4 e LREN3,  que têm bem maior liquidez,  o que faz supor uma maior presença desses ativos nas grandes carteiras,  têm trajetória bem semelhante no mercado e parecem estar  concluindo um impulso razoavelmente bem distribuido em cinco subdivisões,  que comporiam uma subonda V,1 com certa clareza.

Justamente por essa razão, são oportunas do ponto de vista da análise essas revisões feitas por grandes bancois nesta semana, traçando perspectivas menos otimistas para estes papéis,  em relação a exames anteriores,  ainda que se trate de análises fundamentalistas.

O setor foi considerado caro e passível de uma sensível acomodação.