Volume 18  Edição 843    7 de outubro de 2018

Página 3

Últimas verdades, mentiras e boatos da Bolsa

Para a pág. 4

É verdade que   nesta semana, o mercado norte americano registrou novos topos para as ações,  acompanhado  por um quase pânico de vendas nos títulos do Governo, refletindo alta dos juros (preços mais baixos para os títulos).   Ao fundo, a divulgação de várias cifras atestando uma excepcional situação da economia local.   A lógica está na certeza dos gestores de carteiras de que o processo de elevação dos juros já em prática pelo FED será intensificado,  ao mesmo tempo que se confia na melhoria dos lucros das corporações.   Uma preocupação imediata é com a indústria da construção civil,  cuja recuperação ainda em fase preparatória estaria ameaçada pelo rápido contágio dos juros das hipotecas pelos juros de mercado.





É mentira que
o sobe e desce das pesquisas eleitorais seja a única explicação para a dimensão da forte alta do dolar em agosto, por aqui,  parcialmente mantida ao longo de setembro: houve uma grande manobra dos investidores estrangeiros no período, retratada na inédita zeração de sua habitual posição comprada no futuro do dólar, completada agora no final de outubro e já totalmente revertida,nesta primeira semana de outubro.
Algo em torno de 170 mil contratos (de US$ 50 mil cada ou US$ 8,5 bilhões) formavam essa posição comprada, ainda no final de julho,  aos poucos sendo zerada, o que aconteceu nos últimos três 

pregões de setembro, onde a posição desse grupo ficou vendida em cerca de 20 mil contratos...Nesta primeira semana de outubro, a posição comprada foi restabelecida e na quinta feira já estava em 189 mil contratos ou  US$ 9,5 bilhões !

Evidentemente, a manobra foi complementada por intenso giro no mercado à vista e em outros mercados pelo mundo afora.

Vale a pena lembrar que os principais agentes políticos e financeiros recebem pesquisas dárias minuciosas sobre as intenções de voto, não divulgadas publicamente ("trackings") e raramente,  então,  são surpreendidos pelas difusões dirigidas ao público em geral.





É verdade que
  a forte alta recente do petróleo está ligada às ameças americanas de aumento das sanções ao Irã, refletindo os receios do mercado quanto à oferta mundial do produto.

O presidente Trump fez apelos pessoais à OPEP para que estudasse um aumento da produção, que foram recusados até agora,  já que para muitos países da Organização o ganho de receitas é muito benvindo,  após um longo período em que o cartel tentou manter preços baixos para derrubar...justamente a concorrência dos produtores   americanos do shale oil...

Boato 1: Teria sido surpresa a queda da demanda doméstica da GOL em setembro, enquanto subia a da Azul no mesmo período.

Boato 2: A reforma da Previdência seria reapresentada pelo Governo em novembro, com qualquer resultado das eleições.
    
-  colhidos na Internet -

           COMUNICADO

   (clique abaixo e divulgue)
A todos os leitores e amigos
do
Verdades e Mentiras da Bolsa

"Há anos acompanho o seu site. Acho-o muito bem elaborado, útil e qualificado. Parabéns. Pode contar com a minha contribuição mensal, conforme sugerido. Segue comprovante da doação ref. março/2013."
"como leitor interessado na continuidade da circulação do V&M fiz transferência no valor de R$120,00 agendada para 04/03, seguindo o valor sugerido de R$10 por mês, considere minha doação para todo o ano de 2013. Torço para que receba as contribuições necessárias para a manutenção da publicação."
"Vale muito mais do que 10,00...(!) .  Acompanho há anos. Ótimo trabalho. Com o tempo, vou quitando minha dívida."