Página 2

Volume 18  Edição 825    13 de maio de 2018

PETR PN

Para a pág. 3

Testando a resistência


O gráfico semanal dolarizado mostra a PETR4 desde 1997,  não ajustada para a grande subscrição de 2010.

Se como o Ibovespa,  uma Onda IV terminou em janeiro de 2016,  uma primeira sub onda da Ondas V do Ciclo estaria um pouco atrasada:   no Ibovespa, tal sub onda parece estar no seu final,  enquanto que na PETR4 a sensação é de que estamos, talvez, a meio caminho do impulso.

Isso acontece justamente quando a linha de baixa ou de resistência está sendo ultrapassada,  por acaso (ou não ?) ao se aproximar a cotação de R$ 26,00 que foi o preço da subscrição de 2010...Em prazos longos,  utiliza-se a escala dolarizada,  mas valores nominais estão na memória do público e têm significado.

A alta desta semana, ligada a um repique no petróleo,  a outro do dólar e ao resultado trimestral, está ocorrendo com alguma divergência com alguns indicadores,  como o índice de força relativa,  cujas linhas não fizeram novos topos como a cotação.

A análise técnica aponta para uma possibilidade de curta duração para o restante da alta dessa primeira sub onda da Onda V,  face à divergência baixista de indicadores e à própria perda de torque da tendência pela superação da linha de resistência.

Entretanto,  as mesmas razões sugerem que a acomodação seguinte tende a ser mais branda do que a do Ibovespa,  especialmente pelo rompimento da baixa ter ocorrido bem depois do que a da maioria do mercado,  sendo a mais recente entre os papéis de maior peso,