Página 2

Volume 18  Edição 821    15 de abril de 2018

ETF,  A  ALTERNATIVA

Para a pág. 3

Ferramenta moderna


ETF ou Exchange Traded Fund,  Fundo Cotado em Bolsa,  é um mecanismo do gênero securitização:é um fundo mútuo  cuja carteira é organizada de maneira a variar exatamente de acordo com a flutuação de um ou mais ativos,  índices,  mercadorias, moedas,  taxas de juros,  taxas de inflaçáo etc. 

Assim,  comprando uma quota de um ETF de Ibovespa ou de soja ou de bitcoin  ou de Selic ou de IPCA,  o investidor está investindo naquele ativo específico,  geralmente com um custo mínimo e com estatutos devidamente registrados e ação fiscalizada por quem de direito. 
O gráfico mostra o ETF de pequenas empresas na Bovespa (com uma bela divergência baixista...)

Esse tipo de securitização,  como outros,  permite a pulverização do mercado do ativo específico,  aumentando a possibilidade de participação do público e, por consequencia baixando o custo ope
racional e aumentando a liquidez.


No exterior,  sua utilização aumentou exponmencialmente,  inclusive pela possibilidade de combinar seu uso com inúmeras estratégioas com derivativos.

No Brasil, ainda estamos engatinhando, por falta de visão dos empresários do mercado em geral.

Em situações como a atual,  com a Bolsa muito esticada e  a renda fixa sofrendo com baixas taxas de juros,  os ETFs proporcionariam inúmeras outras alternativas interessantes,  aumentando o volume de negócios e abrindo enorme variedade de arbitragens possíveis.

Veja aqui o que já existe disponível na Bovespa.