19 de maio de 2019

VERDADES  E  MENTIRAS  DA  BOLSA

Nesta edição:

©Jayme Ghitnick
2001 a 2019

Volume 18  Edição  872

O  TRIMESTRAL  DA  VALE

O que pode acontecer

A Vale tem celebrado acordos com diversas instancias administrativas e judiciárias,  a propósito da tragécia de Brumadinho, a partir dos quais vem tomando toda uma extensa série de providências que,  naturalmente,  afetam sua  operação habitual.

As demonstrações contábeis do primeiro trimestre registram efeitos de toda essa movimentação,  incluindo provisões e ajustes do que já é conhecido.   Nesse trimestre,  apurou-se, então,  um prejuízo de R$ 1,642 BB que,  excluindo os efeitos Brumadinho,  na verdade seria um lucro de R$ 3,312 BB, já um pouco menor do que no trimestre anterior, por conta de vendas menores.

A empresa alerta que "Na data deste relatório, não foi possível estimar de maneira razoável o tamanho de possíveis
perdas ou liquidações ou o tempo do valor total relacionado a

danos coletivos e obrigações ambientais devido ao estágio inicial das negociações com autoridades relevantes ."

As operações estão contingenciadas pelos acordos celebrados,  reduzindo a produção em talvez um terço, estima o mercado, mas o preço do minério já ganhou mais ou menos essa mesma porcentagem.



As projeções atuais dos analistas giram em torno de um lucro base de R$ 2,5 BB por trimestre até o fim de 2019,   variando para mais ou para menos, na medida em que novas evoluções da situação juridico-administrativa promovam novos ajustes e/ou provisões.

Esse quadro inicial e necessariamente ainda incompleto,  deve nortear os acionistas e investidores,  dando contornos e limites para a análise que deverá orientar a formação de uma cotação razoável.