16 de julho de 2017

VERDADES  E  MENTIRAS  DA  BOLSA

Nesta edição:

©Jayme Ghitnick
2001 a 2017

Volume 16  Edição  784

A  VENDA  DA  ALPARGATAS

Uma companhia especial

A tradicional empresa Alpargatas foi um das atrações da semana,  por ter sido vendido seu controle pelo grupo J&F, há algum tempo na berlinda,  a investidores dos grupos Itaú e Moreira Salles.   A venda em si estava anunciada desde maio,  face aos notórios problemas do grupo vendedor,  mas foi precedida neste ano por alta de 60% nas ações da companhia,  enquanto o Ibovespa ganhava cerca de 8% no mesmo período.

O controle da Alpargatas havia sido adquirido pela J&F no final de 2015, completado via  oferta pública em 2016, sendo vendedor então o grupo Andrade Gutierrez,  também por problemas semelhantes aos atuais da J&F.

A venda agora foi em torno de R$ 14/a e a compra  girou em torno de R$12/a.

 

Com receita líquida nos últimos 12 meses de  cerca de US$ 1,2 BB, com um lucro líquido acima de US$ 140 MM e pequeno endividamento líquido (2% do passivo total) e mais a tradição e difusão de seus produtos, a Alpargatas tinha estado em baixa em 2013 e 2014, antes da     aquisição da J&F, que foi precedida por forte alta.

A cotação atual, alinhada com o preço da transação do controle,  representa um P/L 15 e um P/VPA de 3 e chega a 1,7 vezes a receita líquida anual.

São valores altos para o mercado brasileiro como um todo,  mas são razoáveis para esta companhia,  pelas condições acima mencionadas,  no momento superiores à maioria das demais empresas abertas.

É um campo novo para o poderoso grupo Itaú.